Juiz multa padeiro cristão por recusar fazer bolo de celebração a transição de gênero

Juiz multa padeiro cristão por recusar fazer bolo de celebração a transição de gênero

Um juiz do estado do Colorado, nos Estados Unidos, decidiu que Jack Philips, um padeiro cristão americano, violou as leis anti-discriminatórias do estado ao se recusar a prestar o serviço à advogada Autumn Scardina que, em 2019, encomendou um bolo rosa por fora e azul por dentro, comemorando a transição de gênero.

O juiz A. Bruce Jones ordenou que Philips pague US$ 500 à Scardina, argumentando que Philips negou claramente os “bens e serviços” devido ao “status de transgênero” da Scardina.

“Os réus admitem que estavam dispostos a fazer o bolo solicitado até que a Sra. Scardina identificou que escolheu as cores para refletir e celebrar sua identidade como mulher trans”, disse o juiz A. Bruce Jones.

“Os réus estão, entretanto, dispostos a fazer bolos para indivíduos não-transgêneros que reflitam o gênero dessa pessoa. E os réus fariam ‘com prazer’ um bolo de aparência idêntica para outros clientes”, continuou ele.

Philips disse que não poderia fazer o bolo por causa da mensagem que isso implicaria, mas o juiz disse que o caso era sobre a recusa de vender o produto, em vez de “discurso forçado”.

Jones continuou: “a análise seria diferente se o design do bolo fosse mais intrincado, artisticamente envolvido ou declarasse abertamente uma mensagem atribuível aos réus”.

Esta não é a primeira vez que Philips se envolve em batalhas legais por se recusar a assar bolos, argumentando que suas crenças religiosas o impedem de fazê-lo. Em 2018, o padeiro cristão ganhou parcialmente um caso na Suprema Corte dos EUA por se recusar a fazer um bolo para um casamento gay.

A Alliance Defending Freedom, que representa Philips, prometeu apelar da decisão e disse que o caso “representa uma tendência perturbadora: o armamento de nosso sistema de justiça para arruinar aqueles de quem os ativistas discordam”.

“Vamos apelar desta decisão e continuar a defender a liberdade de todos os americanos de viver e trabalhar pacificamente de acordo com suas crenças profundas, sem medo de punição.

“Ativistas radicais e oficiais do governo estão mirando em artistas como Jack porque eles não promovem mensagens sobre casamento e sexualidade que violem suas convicções básicas”, diz o comunicado.

fonte: premierchristian

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui