Gangue exige R$ 100 milhões para libertação de missionários no Haiti

Gangue exige R$ 100 milhões para libertação de missionários no Haiti

Missionários foram sequestrados quando estavam a caminho do aeroporto na capital, Porto Príncipe, depois de visitar um orfanato na cidade vizinha de Ganthier.

Os criminosos estão exigindo US$ 1 milhão de dólares, cerca de R$ 5,7 milhão de reais por cabeça pelo retorno seguro dos missionários e crianças sequestrados.

O grupo, que inclui cinco crianças, pertence ao Christian Aid Ministries, com sede nos Estados Unidos, que fornece assistência prática a locais afetados pela pobreza e desastres naturais. Há 16 americanos e um canadense no grupo.

“Frequentemente, essas gangues sabem que essas demandas não podem ser atendidas e vão considerar uma contra-oferta das famílias, e as negociações podem levar alguns dias às vezes, ou algumas semanas.” Disse Liszt Quitel, ministra da Justiça.

Os missionários foram expulsos de seu ônibus na área de Croix des Bouquets e levados pela famosa gangue 400 Mawozo, que tem um histórico de sequestros para obter resgate.

Quitel disse à CNN: “Os sequestradores foram avisados ​​sobre ferir os reféns e quais podem ser as consequências para eles [se isso acontecer]. Mas eles não são influenciados por esses avisos.”

400 Mawozo controla amplamente a Croix des Bouquets, e que cinco padres e duas freiras foram sequestrados na mesma área em abril antes de serem libertados após o pagamento de um resgate.

A Christian Aid Ministries está pedindo às pessoas que orem pela segurança do grupo.

“Junte-se a nós na oração por aqueles que estão sendo mantidos como reféns, pelos sequestradores e pelas famílias, amigos e igrejas dos afetados. Ore por aqueles que estão buscando a direção de Deus e tomando decisões sobre este assunto”, disse o comunicado.

“Como uma organização, entregamos esta situação a Deus e confiamos nele para nos ajudar. Que o Senhor Jesus seja engrandecido e muito mais pessoas conheçam Seu amor e salvação.”

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse na segunda-feira que o Departamento de Estado e o FBI estão trabalhando para garantir sua libertação.

“O presidente foi informado e está recebendo atualizações regulares sobre o que o Departamento de Estado e o FBI estão fazendo para trazer esses indivíduos para casa com segurança”, disse Psaki.

“O FBI é parte de um esforço coordenado do governo dos EUA para envolver os cidadãos norte-americanos em segurança. Devido a considerações operacionais, não entraremos em muitos detalhes sobre isso, mas podemos confirmar seu envolvimento.

“E a embaixada dos Estados Unidos em Porto Príncipe está se coordenando com as autoridades locais e prestando assistência às famílias para resolver a situação.”

fonte: christiantoday

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui